Saúde Financeira para Seniores

Introdução – Saúde Financeira para Seniores

O ciclo de vida de uma pessoa é importante para definir em que fase da vida se encontra, qual o patrimônio existente, as expectativas em relação ao futuro e perspectivas de realização.

Fonte: Mercado de valores mobiliários brasileiro / Comissão de Valores Mobiliários. 4. ed. Rio de Janeiro: Comissão de Valores Mobiliários, 2019.

Observemos que entre a faixa etária de 60-65 anos, a expectativa é que crescimento patrimonial atinja seu máximo para que nos anos seguintes ocorra a utilização do patrimônio. Nesta etapa, os aposentados podem ter gastos expressivos com cuidados médicos, mas este gasto pode ser equilibrado pela opção por morar em uma residência menor ou ter menos gastos com educação e apoio aos filhos.

O Indicador de Bem-Estar Financeiro[1], mensurado no mês agosto de 2019 pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), com apoio da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) evidenciou que cerca de 68% dos brasileiros entrevistados reconhecem não ter capacidade de lidar com imprevistos e apenas 9% dizem conseguir arcar com despesas que extrapolam o orçamento.

Quando observados os dados por faixa etária, o levantamento indica que, entre os mais velhos, acima de 50 anos, o nível médio de bem-estar financeiro foi maior (50,1 pontos) do que o observado entre os mais jovens (48,2 pontos) e os de meia idade (48,8 pontos).

De acordo com a economista-chefe do SPC Brasil, as diferenças observadas entre as faixas etárias devem-se ao fato de que, na terceira idade, o peso da preocupação com o futuro diminui, assim como os compromissos financeiros típicos da meia idade, como a aquisição de casa e carro, além da criação dos filhos.

Apesar dos indicadores positivos de saúde financeira para o público sênior, acima de 50 anos, as questões relacionadas a esta faixa etária e possíveis consequências na vida financeira não devem ser desprezadas.A longevidade atual é consequência de muitas variáveis, destacando-se os avanços no campo da medicina. Ademais a estar associada à recente melhora nas condições de saúde das sociedades em geral, o avanço da idade também tem grande correlação com o declínio da capacidade cognitiva e dependência de terceiros. 

As decisões financeiras implicam na razoabilidade da análise risco retorno, e considerando que o declínio da capacidade cognitiva impacta a capacidade decisória, decisões financeiras razoáveis podem ficar comprometidas.

Acrescente-se ainda que mesmo quando a capacidade cognitiva encontra-se preservada, dependência de terceiros também pode influenciar as decisões financeiras do idoso, favorecendo este terceiro em detrimento do bem-estar pessoal do próprio idoso. Neste contexto, o ideal é que o investidor, com idade avançada ou caminhando para a aposentadoria, busque se informar cada vez mais sobre este momento especial de sua vida financeira.

A CVM disponibiliza publicações que podem auxiliar para uma vida financeira sênior mais saudável. O Livro “Planejamento Financeiro Pessoal”[2], obra produzida pela Comissão de Valores Mobiliários – CVM em parceria com a Planejar – Associação Brasileira de Planejadores Financeiros, e junto à Superintendência de Seguros Privados – SUSEP, aborda o processo de formulação de estratégias para auxiliar as pessoas a gerenciar suas finanças para atingir os objetivos de vida, no curto, médio e longo prazos.

Os capítulos do livro estão organizados enfocando gestão financeira, investimentos, planejamento da aposentadoria, gestão de riscos e seguros, tributos sobre rendimentos e investimentos e sucessão patrimonial, além de apresentar o planejamento financeiro integrado, e o papel do planejador financeiro, entre outros.

Para o público sênior, destacam-se o capítulo 3 – PLANEJAMENTO DA APOSENTADORIA e o capítulos 6 – SUCESSÃO PATRIMONIAL, que trazem informações práticas de úteis para esta etapa do Ciclo de Vida.

O Livro “Planejamento Financeiro Pessoal” está disponível em https://www.investidor.gov.br/portaldoinvestidor/export/sites/portaldoinvestidor/publicacao/Livro/livro_TOP_planejamento_financeiro_pessoal.pdf

A Cartilha “Maturidade e Saúde Financeira” de 2019 reúne perguntas e respostas da CVM, Ministério Público do Rio de Janeiro, entre outros, que esclarecem temas específicos para o público sênior.

A cartilha está disponível em https://www.investidor.gov.br/publicacao/ListaFolhetos.html

Com linguagem acessível, textos enxutos e riqueza de exemplos, o público sênior também pode consultar os conteúdos do Programa de Bem Estar Financeira. O Programa está distribuídos em 6 apostilas: O que é bem-estar financeiro?; Crédito e endividamento; Controle financeiro; Tranquilidade financeira e objetivos de vida; Comportamento de consumo; Introdução aos investimentos

Acesso em https://www.investidor.gov.br/menu/Menu_Academico/Programa_Bem-Estar_Financeiro/Programa_Bem-Estar_Financeiro.html

O público sênior também pode contar com a disponibilização de conteúdo específico no Blog Penso Logo Invisto! O blog traz a oportunidade de interação com a oportunidade dos leitores de postarem seus comentários. Dentre as postagens recentes, destacam-se:

A CVM vem trabalhando cada vez mais para trazer conteúdo e interagir com o Público de forma mais específica. O Investidor sênior também pode contar e consultar todo o material educacional disponibilizado em https://www.investidor.gov.br/.

Já o Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) funciona como a interface entre o investidor e a CVM. Trata-se de formulário eletrônico para cadastramento de consultas, reclamações, denúncias e outras demandas para a Autarquia, relativas ao mercado de valores mobiliários.

Disponível em http://www.cvm.gov.br/menu/atendimento/sac.html


[1]O Indicador de Bem-Estar Financeiro baseia-se num modelo de score desenvolvido pelo Consumer Financial Protection Bureau (CFPB), órgão americano de proteção ao consumidor, traduzido para realidade brasileira por pesquisadores do Núcleo de Estudos Comportamentais da CVM, tendo como objetivo medir, periodicamente, o nível de bem-estar financeiro da população.

A mensuração é feita por meio de entrevistas aplicadas periodicamente a uma amostra representativa dos brasileiros, com um questionário composto de dez questões. De acordo com suas respostas, os entrevistados recebem uma nota, que pode variar entre zero e 100. Quanto mais próximo de 100, maior será o nível de bem-estar financeiro; quanto mais próximo de zero, menor o nível de bem-estar. O Indicador é obtido pela média dos scores da amostra.

Saiba mais em: https://www.investidor.gov.br/noticias/2019_09_05.html

[2]https://www.investidor.gov.br/portaldoinvestidor/export/sites/portaldoinvestidor/publicacao/Livro/livro_TOP_planejamento_financeiro_pessoal.pdf